Colunista: Homero Hugo Roxo Goulart
Farmacêutico Especialista em Análises Clínicas e Bioquímica de Alimentos, pela UFRGS Chefe do Setor de Quimioterapia do Hospital Militar de Área de Porto Alegre/RS MBA Auditoria em Saúde FATEC/FACINTER

cadastre-se ou faça login para utilizar os novos recursos do portal.

Noções sobre Vacinas

Vacina é um tipo de substância (vírus ou bactéria) que é introduzida no corpo de uma pessoa ou de um animal para criar imunidade a uma determinada doença. A imunidade criada através da vacina baseia-se na capacidade de reação do organismo aos agentes infecciosos ao produzir anticorpos que combatam esses agentes. Quando uma pessoa ou animal são vacinados contra uma determinada doença, passam a ter imunidade em relação a essa doença. Ao entrar em contato com o sistema imune, a vacina provoca uma reação de proteção e gera nele uma memória.  Essa memória possibilita que o sistema imunológico tenha uma resposta rápida e eficiente de controle infeccioso, quando o mesmo agente entrar no organismo. Existem várias formulações diferentes de vacinas. Em primeiro lugar é preciso identificar o agente causador da doença que se quer combater. As vacinas são produzidas utilizando-se os próprios vírus ou bactérias causadoras de uma determinada doença. Quando o vírus ou bactéria é inativado por processo químico ou calor temos a VACINA INATIVADA. Exemplo: raiva, hepatite A e B, tétano. Quando o vírus ou bactéria é modificado em laboratório temos a VACINA VIVA. Exemplo: sarampo e rubéola. Consideremos que a vacina não tem o mesmo poder de infecção e é suficiente para induzir uma proteção no hospedeiro. O problema de uma vacina do HIV é que as células (leucócitos) que deveriam ser capazes de reagir são justamente aquelas que são atacadas pelo HIV, ou seja, as defesas do corpo tornam-se completamente inúteis contra o HIV, mesmo que seja atenuado. Considerando que o vírus fica alojado dentro de uma célula de nosso sistema imune. Além disso, ele consegue passar de uma célula para outra sem ter acesso aos anticorpos em circulação. Às vezes, a causa é uma substância tóxica que ele o microrganismo produz, então o soro precisa neutralizar essa toxina. Como é o caso do Botulismo, que é uma doença de baixa ocorrência, mas de alta letalidade. Utiliza-se neste caso o soro antibotulínico. O Botulismo ocorre no mundo todo, em geral conservas caseiras são os alimentos envolvidos. Muito raramente ocorre em conservas industrializadas. A produção de vacina para humanos é avaliada quanto à dosagem, toxicidade e outros fatores em animais (camundongos), que devem servir apenas como complementos aos estudos da eficácia da imunização em humanos.

Publicidade

FlashSB - Levando São Borja para o mundo!
© 2012 - Todos os direitos reservados. Melhor visualizado em 1024x768px. Desenvolvido por index1